Dinheiro desviado na pandemia deve voltar para a saúde e vai ajudar bares

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Os valores desviados por agentes públicos nas ações de enfrentamento à pandemia do coronavírus serão destinados ao Fundo Estadual de Saúde (FES) e poderão ajudar na recuperação de bares e restaurantes. A determinação é da Lei 9.037/20, sancionada pelo governador em exercício Cláudio Castro (PSC) e publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (02/10).
Proposta pelo deputado Anderson Moraes (PSL), a lei estabelece que 20% do valor deve ser repassado à Agência Estadual de Fomento (AgeRio) para ser revertido em crédito para bares e restaurantes. Isso já incluiria os R$ 8,5 milhões apreendidos em ação contra o ex-secretário de Saúde Edmar Santos, suspeito de envolvimento com o esquema que teria fraudado contratos para a compra dos respiradores

“Que bom o governador em exercício sancionou a lei integralmente. O dinheiro foi roubado da população, e o mínimo é que retorne o quanto antes através de investimentos e ajuda a um dos setores mais afetados. Destinar parte a recuperação econômica de bares e restaurantes contribui para gerar empregos”, comemorou o autor da lei, deputado Anderson Moraes.

Do total gasto na pandemia, cerca de R$ 700 milhões estão sob suspeita de desvios, segundo levantamento feito pelo site de notícias G1 com base em denúncias do Ministério Público Federal (MPF). As suspeitas levaram às operações Favorito e Tris in Idem, que provocaram o afastamento do governador Wilson Witzel (PSC) e à prisão do secretário de Saúde Edmar Santos, entre outros.
De acordo com a lei sancionada, todo valor recuperado e o destino dele deverá ser publicado nos sites oficiais dos respectivos destinatários e no Diário Oficial do Estado do Rio.