Prestes a completar 20 anos de criação, a Escola de Gestão Socioeducativa (ESGSE) Paulo Freire, do Degase, tornou-se o primeiro órgão do sistema socioeducativo brasileiro a oferecer palestras on-line para proporcionar aulas de capacitação à distância aos servidores. Uma vontade antiga que a pandemia do novo coronavírus tornou possível a partir das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que cursos e aulas presenciais fossem suspensos em todo o país.

Assim, funcionários que moram no Sul e Norte fluminenses, Região Serrana e interior puderam participar sem precisar se deslocar até a Ilha do Governador, no Rio, onde fica a ESGSE. Como resultado, até agora há mais de 4 mil visualizações das 12 palestras, que resultaram em 700 alunos certificados. De acordo com a diretora da Escola, Livia Vidal, num primeiro momento foram convidadas para palestrar as grandes coordenações do Departamento: saúde, assistência social, segurança, educação e tecnologia da informação.

“Depois, começamos a convidar outras divisões do órgão. E é importante lembrar que ao preencher o formulário de inscrição, os próprios participantes inscritos sugeriam os próximos temas das palestras, que são realizadas ao vivo através do canal da Escola de Gestão no Youtube, com duração entre 1 e 2 horas, e interação via chat”, salientou Livia Vidal, doutoranda em Educação pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

O diretor-geral do Degase, Márcio Rocha, considerou a iniciativa da Escola de Gestão algo histórico no sistema socioeducativo e também uma forma de disseminar o conhecimento.

 

“Ações que visem à formação e à qualificação dos servidores do Degase são sempre bem-vindas. Queremos beneficiar também os funcionários que moram e trabalham fora da cidade do Rio de Janeiro”, salientou.

A palestra inaugural foi em maio, sobre saúde e socioeducação frente à covid-19, com a coordenadora de saúde do Degase, a psicóloga Christiane Zeitoune, mestre em Psicologia Clínica e doutora em Teoria Psicanalítica; a celebração dos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) mereceu duas aulas, em julho e em agosto. Integrantes da organização internacional Médicos Sem Fronteiras ministraram uma aula apenas para agentes de segurança socioeducativos sobre saúde mental em tempos de pandemia. O foco eram o autocuidado e o cuidado do outro.

Em outra ação inédita, a ESGSE convidou o professor Rodrigo Millone para ministrar um curso de idiomas aos interessados, que começou em agosto e irá até novembro, sempre às terças e quintas-feiras. Os alunos puderam optar entre aulas de italiano ou inglês para iniciantes, e aulas de conversação na língua inglesa.  Para receberem a certificação em qualquer uma das palestras já oferecidas, os participantes devem preencher um formulário de avaliação, com algumas perguntas relacionadas ao tema da palestra, enviadas ao final da transmissão.