Os produtores rurais de gado de leite e corte do estado do Rio de Janeiro terão acesso a todas as medidas que precedem a retirada da vacinação contra a febre aftosa com segurança e como será feita a vigilância da doença. Isto vai acontecer no “4º Fórum do Estado do Rio de Janeiro: Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa” (PNEFA), que será realizado virtualmente, nesta quinta-feira (10/12), das 14h às 17h, na plataforma Zoom. A programação e a inscrição para participação no evento estão disponíveis no link: www.senar-rio.com.br/4-forum-pnefa/.
O evento, que acontece durante o período de campanha de vacinação contra a febre aftosa, é organizado pela Secretaria de Estado de Agricultura (Seappa), por intermédio da Superintendência de Defesa Agropecuária, em conjunto com a Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Faerj) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

Segundo o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz, o evento tem como objetivo envolver e integrar todo o setor agropecuário fluminense, incluindo toda a cadeia produtiva, órgãos de controle, universidades, instituições públicas e privadas.

 

– Estamos no final da segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Vale ressaltar a importância de vacinar e declarar. O Estado do Rio de Janeiro precisa atingir a meta para acabar nos próximos anos com a vacina da aftosa – argumenta Queiroz.

 

Segundo o superintendente de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura, Paulo Henrique de Moraes, o fórum será uma excelente oportunidade para que todos os envolvidos com a atividade pecuária do estado saibam como se dará a retirada da vacinação contra a febre aftosa nos próximos anos e as medidas de vigilância para a doença que serão adotadas para garantir que a doença não retorne ao estado.

 

– Por isso, é muito importante a participação dos pecuaristas, profissionais autônomos, representantes de cooperativas e outros integrantes do setor – afirma.

 

Para o vice-presidente da Faerj e membro do Grupo Gestor Estadual do PNEFA, Maurício Salles, é importante que o produtor saiba que a vacinação contra a Febre Aftosa faz parte de um programa desenvolvido em todo o país.

 

 – Estamos caminhando para que em algum momento o Rio de Janeiro possa ser considerado estado livre de febre aftosa, sem vacinação. E este status depende muito da participação dos produtores – ressalta Salles.

 

Programação

 

Atualização do PNEFA – Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa e impacto para os estados
• Ana Carla Martins Vidor – Auditora Fiscal Federal Agropecuário da Divisão de Febre Aftosa – MAPA

 

A notificação imediata de doenças vesiculares em zonas livre de aftosa sem vacinação – Benefícios e impactos
• Roberto Siqueira Bueno – Presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado de Roraima

 

Notificação de doença e seu papel na detecção e resposta precoce em saúde animal
• Paula Amorim Schiavo – Auditora Fiscal Federal Agropecuário da Divisão de Febre Aftosa – Mapa

 

Avanços no status sanitário e abertura de mercados exportadores
• Sabrina Tavares – Médica veterinária da Defesa Sanitária Animal Santa Catarina (CIDASC)