A manhã desta terça-feira, 05, começou a registrar uma estabilização nível do Rio Muriaé – cota do canal – no perímetro de Itaperuna. Dados obtidos por meio da Agência Nacional de Águas (ANA) indicavam que às 10h15, o curso d’água marcava 4,56 metros com o escoamento sendo de 767 mil litros por segundo. Esta cota estaria sendo mantida praticamente desde às 8h15, o que significa um sinal positivo, para órgãos públicos especializados.

De acordo com coronel BM Joelson de Oliveira, coordenador regional de Defesa Civil do Noroeste/Noroeste Fluminense, as águas devem apresentar uma caída em seu volume ainda na tarde desta terça-feira, 05, no perímetro de Itaperuna.

“Acreditamos que ao estabilizar nas próximas horas, as águas comecem a descer lentamente. O panorama da Região da bacia Muriaé indicou transbordo ocorrido em Italva, Itaperuna e Laje do Muriaé, porém como não há previsão de grande volume de chuvas ao longo do dia, então a situação deve continuar sendo favorável”, comentou. Em relação a transtornos maiores, ele explica a importância de outro curso d’água da Região.

“Não tivemos uma cheia maior, como a de fevereiro de 2020, porque o rio Carangola, que é um dos principais afluentes do Muriaé, manteve-se baixo. Não ter chovido para o lado do Carangola favoreceu também, se o volume dele aumentar acarreta um estrago muito grande. Quando esses dois rios enchem é praticamente certo ocorrer uma enchente de volume considerado dentro do município de Itaperuna”, esclareceu.

Questionado sobre a situação do Noroeste Fluminense, o coordenador ainda acrescentou que “Em Italva e Cardoso Moreira, ainda tem uma pequena subida, pois a água está passando para lá, mas deve estabilizar até o final da tarde. Já em Cardoso, o rio não transbordou. Em Bom Jesus do Itabapoana teve transbordo, mas já voltou para calha nesta madrugada (05). A tendência é que desça lentamente ainda no período da manhã até retornar para a calha em Itaperuna. O fato de não ter previsão de chuvas de grande volume nos tranquiliza. Com o rio bem cheio qualquer volume de chuva poderia prejudicar”, concluiu.

Medições do Rio Muriaé, no perímetro de Itaperuna (dados obtidos por meio da Agência Nacional de Águas (ANA):
Hora                Cota do canal           Vazão
Às 10h15———4,56 metros——- 767 mil litros por segundo
Às 09h15———4,56 metros——767 mil litros por segundo
Às 08h15———4,55 metros——-763 mil litros por segundo
Às 04h15———4,50 metros——-742 mil litros por segundo
Às 01h15———4,42 metros——-709 mil litros por segundo
Dia 05/01/2021 – Às 01h15———4,42 metros——-709 mil litros por segundo
Às 23h15———4,36 metros——-685 mil litros por segundo
Às 22h15———4,34 metros——-677 mil litros por segundo
Às 21h15———4,31 metros——-665 mil litros por segundo
Às 20h15———4,28 metros——-653 mil litros por segundo
Às 19h15———4,25 metros——-642 mil litros por segundo
Às 18h15———4,21 metros——-626 mil litros por segundo
Às 17h15———4,19 metros——-618 mil litros por segundo
Às 16h15———4,15 metros——-603 mil litros por segundo
Às 14h15———4,07 metros——-573 mil litros por segundo
Às 13h15———3,02 metros——-555 mil litro por segundo
Às 11h15———3,92 metros——-519 mil litro por segundo
Dia 04/01/2021 – Às 9h15———-3,81 metros——-481 mil litros por segundo
Para emergências, o cidadão deve ligar para o número 199 da Defesa Civil; os contatos alternativos são o telefone 153 (Guarda Civil Municipal) e a terceira opção pelo 193 (Corpo de Bombeiros).

Por Lili Bustilho