O médico infectologista do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), Estevão Portela, recebe a dose da vacina de Oxford/AstraZeneca na Fiocruz. - Tomaz Silva/Agência Brasil

O governo do estado do Rio de Janeiro vai iniciar amanhã (25) a distribuição das 185 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford aos municípios fluminense, recebidas ainda neste sábado (23). “Uma grande operação foi montada para que todas as cidades possam dar início a essa nova fase da vacinação assim que receberem as doses e as recomendações técnicas da secretaria, oriundas do Ministério da Saúde”, afirma nota divulgada na noite de ontem.

Assim como as 487 mil doses da vacina Coronavac recebidas na semana passada, as vacinas AstraZeneca/Oxford serão destinadas ao público prioritário, segundo orientação do Ministério da Saúde.

O estado do Rio de Janeiro já vacinou 89.237 pessoas em 85 municípios até as 18h de ontem (23), todos com a vacina Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório Sinovac.

A Secretaria de Estado de Saúde afirma ter enviado ofício aos municípios recomendando que seja feita uma busca ativa para levantar casos de idosos e pessoas com deficiência vivendo em instituições que não estejam cadastradas no Ministério da Saúde e, por isso, possam não ter recebido ainda doses da vacina Coronavac.

O público prioritário da primeira fase de vacinação são profissionais de saúde, idosos e pessoas com deficiência que vivem em instituições de longa permanência, população indígena aldeada e quilombolas. Algumas vacinas começaram a ser aplicadas ainda ontem.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde informou que todas as doses da vacina AstraZeneca/Oxford enviadas pelo Ministério da Saúde para o Estado do Rio serão distribuídas aos municípios em única remessa, para aplicação imediata, de acordo com as prioridades do Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Isso significa que, diferentemente das vacinas Coronavac, que tiveram unidades guardadas para a segunda a dose dos primeiros vacinados, as vacinas AstraZeneca/Oxford serão todas aplicadas imediatamente. A subsecretaria explica que a decisão foi tomada “tendo em vista que a aplicação da segunda dose pode ser realizada em 90 dias após a primeira”.

Agência Brasil