Uma bike e nenhum obstáculo. Um esporte que bem parece aquelas manobras circenses de tirar o fôlego. É o BMX Flatland que tem conquistado muita gente do mundo inteiro. Foi o que aconteceu com o itaperunense Jorge Luiz Amâncio do Nascimento, mais conhecido como TYSON. O atleta de 45 anos se apaixonou pela modalidade do bicicross e já conquistou diversas medalhas levando o nome de Itaperuna ao pódio.

A modalidade é praticada sobre duas rodas onde os próprios obstáculos são apenas uma bicicleta. Nada de rampas ou pistas mais elaboradas. A apresentação que é baseada em manobras que são verdadeiras demonstrações de equilíbrio e habilidade gira em torno de um minuto e meio.

Exatamente isso que encantou Tyason que pratica o esporte desde os seus 13 anos. Aos 17, já como profissional, vem conquistando o pódio nas maiores competições do Brasil. Ele é Campeão Estadual de 2003, 2004 e 2005, 3º colocado em 2012 da Etapa do Circuito Brasileiro, Vice-campeão Brasileiro em 2016, Campeão Brasileiro em 2017, no mesmo ano também foi Campeão Brasileiro Online, 5º lugar Flatland Contest 2016, em Salvador, 3º Lugar do Circuito Brasileiro em 2018, além de participar do Grande Prêmio Brasil, em São Paulo, entre outros.

Para este ano já conta com diversos projetos. Um deles é abrir uma escolinha de BMX para crianças, em Itaperuna.

“Eu tenho grandes projetos e grandes sonhos, um deles é criar uma escolinha de BMX para interagir com as crianças, colocá-las para praticar o esporte, tirá-las das ruas e levá-las para participar de competições no Brasil afora”, contou Tyson.

Para manter o pique e não perder o foco, Tyson treina 14 horas por semana no Centro Poliesportivo da cidade e mantém uma alimentação equilibrada e saudável.

“O Centro Poliesportivo está de portas abertas para os treinos do Tayson e nós já estamos traçando alguns projetos para incentivar o esporte em nossa cidade”, disse o Secretário de Esportes, José Maria Guimarães.

Para garantir sua participação em grandes campeonatos, Tyson conta com apoio de alguns empresários de Itaperuna.

“O apoio que tenho hoje me possibilitam de participar dos campeonatos no Brasil, mas também tenho o sonho de conquistar patrocínio para competir no Sul Americano”, disse.

Segundo Tyson, por conta da pandemia caiu muito o número de competições e há previsão de acontecer, em outubro, o Festival South América, que é o Maior Evento Multi Esportivo da América Do Sul.