Uma nova Igreja da Diocese de Campos alvo de profanação e vandalismo. Desta vez a Capela de Santo Amaro, no distrito de Tocos, na baixada campista, teve as grades das janelas cerradas para que os invasores pudessem ter acesso ao interior do templo. O arrombamento só foi descoberto ao final da tarde do último sábado (06/02), quando uma fiel que ajuda na manutenção da capela foi ao local e descobriu que tudo estava revirado. Na ação criminosa, os suspeitos profanaram a Capela do Santíssimo Sacramento, quando retiraram o sacrário do lugar, abriram e levaram a âmbula contendo as Hóstias. Para o bispo Diocesano de Campos, Dom Roberto Francisco Ferrerìa Paz, quem profana a Eucaristia incorre em excomunhão automática (em latim latae sententiae), de acordo com o cânon 1367 do Código de Direito Canônico que diz:

“Quem joga fora as espécies consagradas ou as subtrai e conserva para fim sacrílego, incorre em excomunhão latae sententiae reservada à Sé Apostólica”. “Podemos dizer que quem cometeu esse gravíssimo atentado contra a fé católica está excomungado. Isso mostra uma vez mais, o quanto nossas igrejas estão sofrendo perseguição. Não se justifica revirar o Santíssimo Sacramento, visto que isso transcende o roubo ou furto, para se tratar de um Sacrilégio, uma profanação. Assim muito não só tristes, mas nos mostra algo diabólico”, afirmou Dom Roberto.

Após constatar o furto, os fiéis acionaram os padres responsáveis pela Capela. O vigário paroquial Pe. Liomar dos Santos, foi o primeiro a chegar ao local para analisar a situação. Além da profanação ao sacrário, toda a sacristia foi revirada, mas apenas um teclado foi levado junto.

“Recolhi o sacrário e levei para Goitacazes, lá recolhi as Hóstias que estavam dentro do sacrário, que foi guardado na Igreja Matriz”, relatou o Pe. Liomar.

Neste domingo (07/02), será realizada às 18h30, na Igreja Nossa Senhora da Penha, que fica no distrito, a Santa Missa em Desagravo ao Santíssimo Sacramento. Uma Missa em Desagravo também será realizada na Igreja Matriz São Gonçalo, às 19h. A Capela de Santo Amaro festejou no último dia 15 de janeiro, o padroeiro, este é o primeiro caso de arrombamento na capela que possui grades em todas as janelas, além de grade na porta principal e em volta de todo o terreno. Para Dom Roberto o atentado acontece contra o sentimento religioso, a piedade e fundamentalmente contra o próprio Deus.

“Quando o Sagrado Coração de Jesus, presente na Eucaristia, que Jesus Eucarístico possa ser digamos assim confortado e vamos justamente fazer a reparação. Que Ele merece. O templo deverá ser reconciliado, fazermos uma reparação de desagravo, contra esse bárbaro atentado à Fé Católica”, declarou o bispo.

Com o vandalismo da capela, pertencente à Paróquia São Gonçalo, no distrito de Goitacazes, chega a 5 o número de arrombamentos a Igrejas, entre 2019 e 2020, apenas no território paroquial. A Paróquia já sofreu com problemas de arrombamento sendo duas vezes na Capela Nossa Senhora do Carmo (Ponto do Carmo), Capela Santo Antônio (Alto da Areia), Igreja Nossa Senhora da Penha (Tocos) e agora Santo Amaro, também em Tocos.

“Pedimos à comunidade, também, que melhore a segurança. Não podemos deixar o Santíssimo sofrer. Muito mais que um atentado contra a liberdade religiosa é uma ofensa contra o próprio Deus. Não ficará sem consequências para quem o cometeu. Deus abençoe essa comunidade, vamos rezar muito. Isso mostra que está se perdendo a imagem do sagrado, que não deveria ser esquecido. Jesus Eucarístico é o Centro da nossa fé, é o Ressuscitado que mora junto a nós para nos confortar. Pedimos mais uma vez às autoridades que zelem pela segurança dos fiéis católicos”, finalizou o bispo diocesano Dom Roberto.

Ruan Sousa

Pascom Diocese de Campos