A retomada da economia do Noroeste Fluminense bateu o recorde de empregos do ano, segundo análise feita pela Firjan a partir da plataforma Retratos Regionais. A diferença, ainda que pequena, foi de 309 vagas abertas em junho contra 305 em março – até então, o melhor saldo de 2021. Já no mês de junho, o destaque regional é Indústria e Construção (+120), enquanto Itaperuna liderou a abertura de empregos (+240).

“Estamos vendo que a retomada está sendo gradual, mas constante, o que nos traz esperança de que o segundo semestre será ainda melhor. Também é muito positivo o fato de diferentes segmentos se revezarem como os maiores contratantes”, disse o presidente da Firjan Noroeste Fluminense, José Magno Vargas Hoffmann.

O presidente se refere ao fato de que, no início do ano, a Construção Civil se destacou na geração de empregos, enquanto em junho coube à indústria da moda. Considerando todas as cidades que compõem o Noroeste Fluminense, a principal atividade foi a de “Confecção de peças do vestuário” (+51) – situação que se repete no total do semestre, com saldo de 101 novas vagas. Outro exemplo da retomada do setor o grande segmento de “Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios”, que gerou 57 empregos em junho e 140 no ano.

Nos primeiros seis meses, Indústria e Construção foram as principais contratantes (+463), seguidas de Comércio (+435) e Serviços (+336). No apanhado semestral da região, Itaperuna (+615), Pádua (+206) e Itaocara (+106) lideram o ranking. Em Itaperuna o destaque é a Indústria e Construção (+305), tendo como principais atividades a “Coleta de resíduos não-perigosos” (+65) e “Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios” (+83).

“Claro que a capital é um grande centro econômico, mas quando se fala em empregos em geral, vemos que dois terços das vagas foram abertas no interior; e indústria, três quartos das oportunidades são de fora da capital. Então, com o fechamento do semestre, fica claro o quanto o interior tem sido um importante propulsor da retomada dos empregos no estado do Rio”, disse Marcio Felipe Afonso, especialista em Estudos Econômicos da Firjan.

 Destaque em Campos, Macaé e São João da Barra

Já o Norte Fluminense foi protagonista no ranking estadual. Campos (+3.630) e Macaé (+3.482) foram, respectivamente, a terceira e a quarta cidade de todo o estado que mais geraram empregos nos primeiros seis meses deste ano. No mês de junho, os municípios ganham ainda a companhia de São João da Barra (+289), nona cidade fluminense com maior geração de empregos, segundo dados análise feita pela Firjan por meio da plataforma Retratos Regionais.

No estado do rio, a indústria abriu mais 2.455 novos postos de trabalho formais em junho, mais que o dobro do saldo observado em maio (+1.150). A análise feita pela Firjan mostra ainda que já foram reabertas nove em cada dez vagas da indústria fluminense fechadas de março a junho do ano passado, meses de maiores incertezas e restrições relacionadas à pandemia de Covid-19. Em números absolutos, foram32 mil reabertas contra 36,5 mil fechadas.

Outra observação dos analistas da Firjan é que o bom desempenho do mercado de trabalho da indústria fluminense está disseminado. Em junho, todas as regiões e 63 dos 92 municípios do estado apresentaram saldo positivo de contratações. Esse foi o segundo melhor desempenho do mercado de trabalho fluminense no ano e, pelo segundo mês consecutivo, o Rio de Janeiro foi o terceiro estado que mais abriu vagas com carteira assinada no país.

 Plataforma Retratos Regionais

A plataforma Retratos Regionais da Firjan tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais.

Em painel regional, que também permite a busca por município, é apresentado o cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores. A plataforma pode ser acessada por meio deste link: Retratos Regionais | Firjan.

Felipe Sáles

Assessor de Imprensa