A alta recorrente nos últimos meses do gás de cozinha (GLP) vem comprometendo o orçamento das famílias mais carentes na pandemia. De janeiro a junho, o preço médio do botijão de 13 quilos foi reajustado em 13,75%. Esse cenário motivou o deputado federal Christino Áureo (PP-RJ), presidente da Frente Parlamentar para o Desenvolvimento Sustentável do Petróleo e Energias Renováveis (FREPER), a defender a criação de um programa permanente que barateie o gás de cozinha para as famílias de baixa renda.
Por meio de um Projeto de Lei de sua autoria, o deputado propõe a criação do programa Gás Social, uma política pública bem direcionada ao problema. Somado ao projeto do deputado, outros parlamentares propuseram iniciativas que se juntaram à matéria relatada por Christino na Câmara dos Deputados. A ideia é usar a CIDE para bancar metade do preço do botijão a famílias inscritas no CadÚnico, por meio de convênios do Ministério da Cidadania com revendedores.
– Temos que dar suporte a essas pessoas, especialmente após o fim dos auxílios, com o avanço da vacinação. Vamos trabalhar para que o tema avance na Câmara dos Deputados. É preciso unir diferentes soluções para essa questão – lembra.
O deputado está trabalhando para que o desconto seja significativo na vida financeira dessas famílias.
– O governo abre mão de cerca de R$ 1,2 bilhão do PIS/COFINS, que representa um desconto de R$ 2,18 no botijão. Não é absolutamente significativo para ninguém –  finaliza o deputado.