No dia em que a Lei Maria da Penha completa 15 anos, o Governo do Estado, representado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, promoveu neste sábado (07/08) o Fórum de Lideranças Femininas, em São Francisco de Itabapoana. O encontro fez parte das atividades do Governo Presente, programa que percorre as regiões Norte e Noroeste desde a quinta-feira (05). O governador Cláudio Castro participou da abertura da reunião, quando assinou a Carta São Francisco de Itabapoana, um compromisso com projetos e ações estaduais para o enfrentamento da violência.

 

– Estar aqui nesse fórum tão importante, numa data tão simbólica, é muito significativo na minha vida. Sempre cobrei atenção especial das Secretarias de Polícia Militar e de Polícia Civil nesse sentido, e preparamos nossas equipes para atuarem de tal forma que as mulheres vítimas fiquem mais à vontade e confiantes na hora de denunciar e recebam um atendimento qualificado e diferenciado – ressaltou o governador.

 

No evento, a primeira-dama do estado e presidente de honra do Riosolidario, Analine Castro, lembrou que o Norte e Noroeste fluminense têm cinco prefeitas eleitas. Para ela, a liderança feminina nestes municípios ajuda no fortalecimento de políticas públicas.

 

– Essa representatividade nos enche de orgulho e faz com que a gente consiga construir uma sociedade melhor. A mulher na política traz um novo olhar, que nos faz despertar para a criação de políticas públicas, especialmente para o público feminino. A mulher deve ter a dignidade e os direitos garantidos sempre – afirmou Analine.

 

O fórum marcou, ainda, a comemoração dos dois anos do programa da Polícia Militar Patrulha Maria da Penha, que já atendeu mais de 24 mil mulheres com medidas protetivas contra agressores.

 

– Momentos como este são importantes para dar visibilidade ao que o Governo do Estado está fazendo, além de apontar caminhos para o futuro – comemorou a tenente-coronel da PM Cláudia Moraes, coordenadora da Patrulha Maria da Penha.

 

Patrulha nas regiões Norte e Noroeste 
Ao todo, a polícia realizou nessa área 8.098 atendimentos diretos, como fiscalizações de medida protetiva, visitas domiciliares e assistência a mulheres em situação de violência, além de 642 ações comunitárias, como doações e palestras.