Homem girando válvula (Man Turning Valve Wheel)

A expectativa dos industriais do Norte e Noroeste Fluminense é de aumento da produção para este semestre, segundo dados da Sondagem Industrial, divulgada pela Firjan. Enquanto no Norte foram registrados 54,4 pontos em julho – maior nível para este mês desde 2013 –, no Noroeste chegou a 51,6 pontos, após meses de queda. A pesquisa varia de zero a cem pontos, sendo que os resultados acima de 50 representam expectativa de crescimento.

No Norte Fluminense, as expectativas de mais produção influenciaram também na perspectiva de contratação de mão-de-obra, que registrou 51,5 pontos, e de compra de matéria-prima, com 50,7 – ambos em julho.

“Ainda existe um certo ceticismo quanto a novos investimentos, mas com o avanço da vacinação e a consequente recuperação da economia, tudo nos leva a crer que chegaremos ao fim do ano com otimismo renovado”, afirma o presidente da Firjan Norte Fluminense, Francisco Roberto de Siqueira.

Já no Noroeste Fluminense, a expectativa de crescimento na demanda por produtos voltou a ficar otimista em julho, após dois meses negativos e estabilidade em junho. O resultado, porém, ainda não se refletiu na perspectiva de compra de matéria-prima ou com relação ao número de empregados.

“Este resultado demonstra que a região ainda está lutando contra os efeitos provocados pela pandemia na economia. Mas a expectativa de crescimento após meses negativos reforça as esperanças de que estamos começando a nos reerguer”, pontuou o presidente da Firjan Noroeste Fluminense, José Magno Vargas Hoffmann.

 Alta na produção industrial do estado

Já com relação à produção industrial, o Norte registrou estabilidade após oito meses consecutivos de queda, enquanto no Noroeste ainda registra baixa, com 43,8 pontos – neste caso, resultado abaixo de 50 representam queda na comparação com o mês anterior. No entanto, a tendência é de melhora nos números gerais: no estado do Rio, a produção industrial fluminense aumentou em maio e junho, chegando a 50,6 e 51,8, respectivamente. Assim como a utilização da capacidade instalada nas empresas, que chegou a 65% – acima da média histórica da pesquisa (64,2%).

“Ainda existem entraves significativos à produção, como a falta ou o alto custo da matéria-prima, além da elevada carga tributária e da baixa demanda interna, mas o avanço da imunização no estado já traz resultados positivos. Com isso, as expectativas para os próximos meses também melhoraram”, ressalta Luiz Césio Caetano, vice-presidente da Firjan.

A Firjan também destaca que o Índice de Confiança do Empresário Industrial Fluminense (Icei-RJ), que analisa as condições atuais e as expectativas com relação à economia brasileira, do estado e da empresa, avançou pelo terceiro mês consecutivo e atingiu, em julho, 58,2 pontos. O resultado está acima da média histórica (51,3 pontos) e é o melhor para o mês de julho desde 2011.

Felipe Sáles

Assessor de Imprensa