Agricultores familiares da capital estadual do café vêm investindo em outras culturas. No Sítio Água Doce, em Varre-Sai, próximo à divisa com o Espírito Santo, a produção de laranja vai de vento em popa. São 2 mil pés da fruta que produzem uma média de 250 mil laranjas ao ano. Nesta segunda-feira (30/08), o secretário municipal de Agricultura de Varre-Sai, José Maria de Freitas Pellegrini, esteve visitando o sítio.

Aos 88 anos, o proprietário do Sítio, Wilson Silvestre Teixeira, contou que ingressou no cultivo da laranja na década de 1970, utilizando mudas da Fazenda Água Doce (que pertencia a família) e que depois, com o bom preço do café, resolveu trocar a laranja pelo café. Mas que em 2008, voltou para a produção de mudas de laranja que culminaram com o laranjal do Sítio.

“É um bom negócio  porque como fruta de mesa, a laranja é bem melhor que  a banana da terra, por exemplo, que também é um bom negócio”, afirmou o proprietário.

A produção é familiar, seu Wilson conta com a ajuda da esposa Aparecida Rodrigues Teixeira, 70 anos, da filha Ilseane Rodrigues Teixeira, 42 anos e dos funcionários Paulo e Tatiane.

“O município produz muito café, mas temos que diversificar a produção. Nesse momento de pandemia, é importante as pessoas consumirem laranja e sucos por causa da vitamina C. Estou há quatro anos direto aqui. É gratificante estar envolvida com a produção, um exercício mental e físico”, ressaltou Aparecida.

A laranja produzida no Sítio Água Doce é agroecológica (com o menor uso de defensivos) e da espécie Bahia. A produção é voltada para os mercados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. A safra acontece entre os meses de junho a setembro.

A filha Ilseane falou dos cuidados  necessários para manter a qualidade da fruta.

“É uma cultura complexa, tem que estar fazendo o controle de pragas, cuidando do solo para mantê-lo fértil e com a umidade adequada e realizar a adubação. Todo o cuidado para deixar a laranja com suas características próprias: doce e suculenta”, disse.

Para melhor atender aos clientes, a venda que antes era realizada direto na lavoura, agora acontece em um galpão construído pela família. Segundo a proprietária Aparecida, o local trouxe maior organização para as cargas do produto.

O secretário municipal de Agricultura de Varre-Sai falou da produção no sítio.

“Tenho percorrido várias propriedades do município, ouvindo as demandas dos produtores. Aqui, no Sítio Água Doce, foi uma satisfação ver o belo trabalho que a família desenvolve na citricultura, com foco na laranja Bahia que é um diferencial. O que só reforça que o nosso município tem potencial para outras culturas, além da cafeicultura e pecuária”, concluiu José Maria.

Hoje o preço da laranja cultivada no Sítio Água Doce é de R$ 1,52 o quilo. O sítio fica aberto durante toda a semana das 7 às 17 horas para quem quiser adquirir a fruta. O telefone de contato é (28)99964-8846.

Propriedades nutricionais  da laranja Bahia – Fortalece o sistema imunológico, previne gripes e resfriados, ajuda no funcionamento do intestino, previne anemia, ajuda no controle da pressão arterial, previne o colesterol ruim, tem oxidantes que ajudam a prevenir o envelhecimento e o câncer, protege o coração e o olhos, melhora a memória, reduz riscos de AVC, entre outros benefícios.

Silaine Terra

Departamento de Comunicação

Prefeitura Municipal de Varre-Sai