A Diocese de Campos registrou mais uma Igreja alvo de ação criminosa, sendo a segunda na mesma semana. Desta vez, foi na Igreja Matriz São Benedito, no Centro de Campos, que registrou o arrombamento na madrugada desta quinta-feira (02/09). De acordo com o pároco Pe. Walas Maciel, o arrombamento só foi identificado quando a funcionária chegou para trabalhar no início da manhã e percebeu que o cadeado da grade havia sido arrancado e a porta arrombada. “Na secretaria, percebeu uma cena de desordem dos materiais, gavetas destruídas, papéis e arquivos lançados ao chão. Ao chegarmos na paróquia constatamos que o invasor não cometeu nenhum crime de sacrilégio: o Sacrário onde se encontra a reserva eucarística, bem como a sacristia não sofreu nenhum ato de desrespeito. Ficando assim a nossa preocupação neste momento voltada para os valores e bens materiais que se encontravam na secretaria e Tesouraria”, declarou o padre em nota oficial.

A Polícia Militar foi acionada assim como a Polícia Civil, para conduzirem as investigações. Inclusive, no momento do furto, paroquianos de prédios informaram que acionaram a PM, ainda durante a madrugada, quando perceberam a ação criminosa. Foram levados cheques, dinheiro e o aparelho celular da secretaria, no total o prejuízo foi calculado em R$ 7.831,55, que estavam na tesouraria. “A comunidade religiosa se sente desrespeitada e agredida quanto à depreciação da presença real de Jesus presente na Eucaristia, ao templo enquanto casa de Deus e a fé que aqui se vive nessa Igreja. Esperamos que este ato de desrespeito cometido contra a comunidade de fiéis da Paróquia São Benedito, somado a tantos outros atos, não somente contra a comunidade católica, mas a toda sociedade, possa levar aos nossos governantes e órgãos competentes a tomarem as decisões necessárias para combater tamanha falta de consciência civil e religiosa que se encontram em muitos de nossos irmãos em meio a nossa sociedade”, finalizou o sacerdote.

A Igreja São Benedito é a quarta capela alvo de ação de vandalismo em 2021, nesta semana a Capela São Sebastião, em Santo Antônio de Pádua, foi alvo de criminosos. Em junho deste ano, o furto foi na localidade de Martins Laje, que fica próximo a BR 356, no trecho que liga as cidades de Campos à São João da Barra. Em fevereiro, a Capela de Santo Amaro, no distrito de Tocos, na baixada campista, teve as grades das janelas cerradas para que os invasores pudessem ter acesso ao interior do templo. Para o Bispo Diocesano de Campos, Dom Roberto Francisco Ferrerìa Paz, a ação criminosa deve ser investigada para que a comunidade religiosa tenha uma resposta por parte das autoridades de segurança. “Fizeram danos fundamentalmente na secretaria. Isso prova que são pessoas que sabiam bem onde se encontravam os materiais. Mas mostra a fragilidade e mais ainda a necessidade do fechamento e a colocação de grades nas Igrejas”, declarou Dom Roberto.

Ruan Sousa

Pascom Diocese de Campos