Conceito da indústria da construção - arquitetos e engenheiros debatendo o progresso do trabalho entre concreto, andaimes e guindastes

A escalada de empregos no Noroeste Fluminense registrou em julho o melhor saldo de contratações (+419) desde outubro do ano passado (+484). Os dados são da plataforma Retratos Regionais da Firjan, elaborada a partir dos números do Caged. Em toda a região, nove das 13 cidades registraram saldo positivo de empregos.

“Os dados mostram uma recuperação integrada, o que demonstra que não é algo pontual, mas, sim, um crescimento disseminado em várias cidades e nos mais diferentes setores da economia”, disse o presidente da Firjan Noroeste Fluminense, José Magno Vargas Hoffmann.

Na região, o setor de Serviços se destacou (+194), seguido de perto pela Indústria e Construção (+139). Entre as atividades que mais geraram empregos estão “Atividades de atendimento hospitalar” (+52) e “Transporte rodoviário de carga” (+39). Apenas Natividade (-1), Cambuci (-2) e Italva (-3) registraram saldo negativo em julho.

Itaperuna se destaca com 188 novas oportunidades. Assim como acontece regionalmente, Serviços (+97) e Indústria e Construção (+53) puxaram o número de contratações. A abertura de vagas, no entanto, oscilou nos últimos meses: 169 em maio, 239 em junho e 188 em julho.

“Desde a retomada das contratações em Itaperuna, em agosto de 2020, apenas em dezembro a cidade não abriu novas vagas. E, nos últimos meses, o nível de contratações parece ter se estabilizado em um patamar mais elevado, o que pode indicar que a retomada econômica está se acelerando”, disse Jonathas Goulart, Gerente de Estudos Econômicos da Firjan.

 Noroeste se destaca na retomada

Os municípios também demonstram grande capacidade de resiliência frente às dificuldades impostas pelas medidas de combate à Covid-19. O Noroeste Fluminense foi a segunda região que mais recuperou empregos perdidos no auge da pandemia, entre março e julho de 2020. A região, que havia fechado 1.757 vagas entre março e julho de 2020, abriu 2.556 novas oportunidades de agosto do ano passado a julho deste ano – num percentual de recuperação de 146,0%. Este ano, a retomada foi puxada pela Indústria e Construção, seguida de Serviços e Comércio.

O Norte Fluminense, por sua vez, perdeu 13.969 postos de trabalho entre março e julho de 2020, enquanto abriu 11.962 de agosto do ano passado a julho deste ano – um percentual de recuperação de 85,6%. O índice foi puxado por Macaé e Campos, que de janeiro a julho foram, respectivamente, a segunda e a quarta cidade de todo o estado que mais geraram empregos. Os maiores empregadores foram Indústria e Construção, Agropecuária e Serviços. Em todo o estado, sete das 10 regiões já recuperaram todas as vagas perdidas no auge da pandemia.

Para conferir os dados da plataforma Retratos Regionais, clique no link: https://www.firjan.com.br/firjan/empresas/competitividade-empresarial/retratos-regionais/default.htm?utm_source=email&utm_medium=cpc&utm_campaign=retratos_regionais&utm_content=&utm_term=noroeste

A closeup shot of a cylindrical grinder – industrial concept

Felipe Sáles

Assessor de Imprensa