Se nos próximos dias o plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) será tomado por debates sobre o pacote de austeridade do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), do lado de fora da Casa os servidores farão protestos contra as reformas. No próximo dia 15, servidores da Segurança Pública se concentrarão no entorno da sede do Legislativo.
Já o Fórum Permanente dos Servidores do Rio (Fosperj) mobiliza as categorias para irem ao Buraco do Lume, às 16h, amanhã (14).
PARA OS NOVOS
Para novos servidores, as reformas preveem o fim dos triênios; mudança na idade mínima para a aposentadoria (para mulheres, sobe de 55 para 62 anos, e para homens, de 60 para 65 anos); fim do adicional por tempo de serviço (triênio), da licença-prêmio e de licença especial.
O governo propõe ainda a licença capacitação, sem conversão em salário. “Nela, servidores poderão se afastar dos cargos, a cada cinco anos, por três meses, para fazer cursos de capacitação”, explicou o Executivo.
PARA OS ATUAIS 
Para quem já está no serviço público do Estado do Rio, a reforma prevê regras de transição para a aposentadoria. Assim, deverá ser somada a idade do servidor mais o tempo de contribuição, que deve chegar a 86 pontos para mulheres e 96 pontos para homens. A soma aumenta um ponto a cada ano, até chegar a 100 pontos para mulheres e 105 para homens.
O Dia