Deputada Daniela do Waguinho é coautora de projeto contra a linguagem neutra nas escolas

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Estão em análise na Câmara dos Deputados propostas que proíbem a utilização de linguagem neutra por escolas públicas e privadas. O objetivo é proteger os estudantes brasileiros da deturpação da língua portuguesa, já que a linguagem neutra usa outras vogais, símbolos ou consoantes que não identificam o feminino ou masculino nas palavras.

Termos como “alune” (em vez de aluno ou aluna), “amigues” (em vez de amigos ou amigas) e “todes” (em vez de todos ou todas), entre outros exemplos.

“Precisamos assegurar que os estudantes tenham o direito de aprender a norma culta da língua portuguesa, conforme as legislações vigentes no país. Eu sou contra a ideologia de gênero nas escolas, contra a linguagem neutra. Uma educação de qualidade vai além de qualquer ideologia”, afirma a deputada Daniela do Waguinho (MDB-RJ), coautora do projeto de lei 2650/21 junto com a deputada Geovania de Sá (PSDB-SC).

Pedagoga e coordenadora na Região Sudeste da Frente Parlamentar da Primeira Infância, Daniela do Waguinho defende que as formas linguísticas consolidadas ao longo de séculos são um patrimônio de cada povo, e que a língua não evolui por processos artificiais.

Na justificativa do projeto de lei é destacado que a linguagem neutra tem sido utilizada por escolas em documentos e até mesmo na comunicação com os alunos. “Uma língua é adquirida, é aprendida, não é inventada; e não é aceitável que essa ilegítima invenção seja reproduzida justamente no local onde os estudantes deveriam aprender a utilizar a Língua Portuguesa de acordo com as regras gramaticais”, diz o texto do PL 2650/21.

A proposta tramita junto ao PL 173/2021, com a mesma finalidade, alterar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996 – para vedar a utilização de linguagem neutra por escolas públicas e privadas.