Seap apreende mais de 100 celulares e 85 chips em operação no presídio de Campos

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) realizou, nesta quarta-feira, uma grande operação de revista no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes. Ao todo, foram apreendidos 107 telefones celulares, 85 chips, 6 kg de cocaína em invólucros, 1,5 kg de Canabis sativa em invólucros e um invólucro com 30 g de haxixe. Cerca de cem policiais penais participaram da ação.

A ação, desencadeada pela subsecretaria de Gestão Operacional, teve como objetivo coibir a presença de materiais ilícitos na unidade prisional, que não era alvo de revista geral de grande porte desde julho de 2019. O presídio custodia atualmente 1.400 presos.

A operação contou com o apoio da subsecretaria de Inteligência do Sistema Penitenciário, da Corregedoria Geral, do Grupamento de Intervenção Tática (GIT) e do Grupamento de Operações com Cães (GOC).

Policial penal facilitava entrava de material ilícito em presídio de Campos

Em fevereiro deste ano, dois policiais penais foram presos durante operação da Polícia Civil com apoio da Corregedoria e da Subsecretaria de inteligência da Seap. Um dos servidores trabalhava no presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes, e foi preso ao chegar na unidade prisional.

As investigações começaram em 16 de janeiro, quando houve apreensão de materiais ilícitos na cozinha de um dos presídios de Campos, indicando o possível envolvimento de servidores em um esquema que facilitava a entrada de drogas, celulares e outros produtos ilícitos nos presídios da região Norte e Noroeste

 

 O Dia