Rio de Janeiro poderá ter programa estadual para prevenir quedas de idosos

Compartilhe
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

O Rio de Janeiro poderá implantar um Programa Estadual de Prevenção de Quedas às Pessoas Idosas. O objetivo é reduzir a ocorrência de problemas de saúde da população a partir de 60 anos, dentre os quais traumatismos e fraturas, com consequentes internações hospitalares. Projeto de lei com essa finalidade está em tramitação na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

A proposta, de número 5689/2022, foi apresentada pela deputada estadual Rosane Felix (PL), preocupada com os agravos à saúde dos idosos. De acordo com informações do Ministério da Saúde, o SUS registra a cada ano mais de R$ 51 milhões com tratamento de fraturas decorrentes de queda.

Dados revelam ainda que 20% dos idosos acima de 80 anos que sofrem fratura do colo do fêmur, devido a queda, morrem no primeiro ano após a fratura. Outros dados mostram que 40% deixam de ter independência nas atividades de vida diária e ficam com a locomoção muito comprometida, levando em conta ainda que as estatísticas apresentam que em média 70% das quedas ocorrem no meio doméstico.

De acordo com o PL 5689/2022, o Programa Estadual de Prevenção de Quedas às Pessoas Idosas terá campanhas de conscientização quanto aos fatores de risco para a ocorrência de quedas às pessoas idosas e respectivas medidas de prevenção, que serão divulgadas nas unidades de atenção primárias, secundárias e terciárias de saúde, em espaços públicos e privados, por meio de toda forma de mídia, no âmbito das secretarias municipais e estaduais de saúde e de assistência social.

“A expectativa de vida no país tem aumentado, mas é preciso que tenhamos políticas públicas para garantir a qualidade de vida do idoso. Quedas podem impactar negativamente, ou até abreviar a vida de uma pessoa idosa. Daí a importância de termos campanhas voltadas para alertar e prevenir quedas, para preservarmos ao máximo a integridade física dos nossos idosos”, explica a deputada estadual Rosane Felix, presidente da Comissão dos Assuntos da Criança, do Adolescente e do Idoso na Alerj.

Ainda segundo o projeto de lei, o Programa atingirá as pessoas idosas de 60 anos ou mais e serão realizadas orientações aos idosos, seus familiares e cuidadores para redução dos riscos relacionados às quedas, nas diversas situações cotidianas, envolvendo educação quanto às adequações ambientais (ambiente seguro), posturais e conscientizações para melhores hábitos de vida, também quanto aos riscos externos nos acessos aos espaços públicos, dentre outras situações que poderão ser elencadas.

Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Rio de Janeiro é o segundo estado brasileiro com maior quantidade de idosos.